quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Ciúmes


Dizem que quem ama, sente ciúmes.
Parece que isso é como se fosse uma prova de amor. O ciúme pode sim, nascer sempre com o amor, mas nem sempre morre com ele.
"Os ciumentos não precisam de motivo para ter ciúme. São ciumentos porque são."
Conheço uma frase que toda pessoa ciumenta cita: "Sinto ciúmes de tudo o que é meu, e de tudo o que eu acho que deveria ser."
As vezes o ciúmes pode ser o medo de perder a pessoas que a gente ama,  ou também p medo de ser trocada , e não querer dividir aquela pessoas com alguém , e querer aquela pessoa só pra você. (coisa de gente egoísta), rs.
Tenho a impressão que os ciumentos sempre olham para tudo com óculos de aumento.
Olha, eu sou do tipo " ciumenta consciente e por isso controlada." Quando estou falando com a minha namorada, e ouço o celular dela vibrar posso até perguntar:
 "QUEM TE MANDOU MSG?" ou em outras situações:
 "QUEM É AQUELA MENINA QUE PUBLICOU NO SEU MURAL DO FACEBOOK?"
"QUEM É ESSA MENINA QUE VOCÊ COMEÇOU A SEGUIR AGORA NO TWITTER?"
"VAI SAIR COM QUEM? VAI CHEGAR QUE HORAS?"
"HUM, AQUELA SUA AMIGA VAI?"
Mas nunca serei aquela ciumenta que pergunta aonde a pessoa vai e aparece de surpresa pra ter certeza se o que ela te falou era verdade, digamos que tem o ciúmes "bom" e o "ruim"...
Ciúmes bons até podem ser saudáveis para uma relação, os ciúmes maus podem não só destruir a relação de um casal, como afetar negativamente qualquer pessoa: não só aquelas que são incapazes de controlar o seu lado ciumento, como aquelas que são alvo desses mesmos ciúmes. Os ciúmes maus estão normalmente relacionados com comportamentos paranóicos, de desconfiança e obsessivos, em que um elemento do casal tenta controlar o outro ao máximo, como se a pessoa fosse sua propriedade.
Esse lance de " "Ciúmes nem sempre é falta de confiança, é medo de perder".
Na minha opinião, existe uma coisa que você aí que se encaixa nesse perfil precisa entender de uma vez por todas: NÃO É POSSÍVEL PERDER ALGO QUE NÃO POSSUÍMOS.
Algumas pessoas até limita o que a outra pode ou não fazer, o que veste, com quem se relaciona…  E muitas vezes, este tipo de ciúme obsessivo/doentio pode levar a comportamentos perigosos, como agressões verbais e físicas, ai além da pessoa já não confiar mais na outra, ela ainda perde o respeito. E cá pra nós, confiança e respeito  é fundamental  em um relacionamento.
Primeiro porque se você não confia na pessoa acaba em duas situações, ou você enche tanto a cabeça da pessoa que ela acaba enchendo o saco de você e te dando um pé na bunda, ou a pessoa se enche de tanta cobrança e resolve te dar razão e você acaba virando uma corna... as duas formas são ruins, então é melhor se esforçar e confiar.
Segundo porque respeito é a base de tudo, respeitar o outro, e compreender que é uma pessoa incompleta, mas que tem seus valores, suas crenças pessoais, convicções construídas ao longo de sua vida, que tem uma família e foi educada, aceitar a possibilidade de falhas mas que estas não definem o que a pessoa representa pra você, enfim.
Algumas pessoas entram todos os dias no facebook da outra pra verificar o mural dela no Facebook e/ou os seus tweets, fazendo perguntas incessantes sobre quem são os homens/mulheres que tanto comentam aquilo que escrevem.
Pois, "Há quem diga que o ciúme é o perfume do amor."  Eu acho que isso não passa de uma desculpinha de gente desconfiada, insegura e mal amada. O amor têm vários perfumes deliciosos: carinho, companheirismo, parceria, respeito, cuidado, lealdade, tesão e afins, mas o ciúme não entra nessa lista . Quem acredita que o ciúme faz parte do amor, não está entendendo muito bem os conceitos. Porque, na realidade, aquele ciúmes  que você sempre achou que ele demonstrava como forma de amor, não passava de uma demonstração de ego ferido, de desconfiança, é consciência pesada,  ela te traí e tem medo que você faça o mesmo e por isso fica no seu pé.
Para aquelas pessoas que falam que não conseguem se livrar do ciúmes, eu acho que assim como a raiva, a ansiedade, a angústia, a alegria, a euforia, entre outros, o ciúme é um sentimento natural que está presente em todo mundo, sim. Mas, da mesma maneira que temos a capacidade de entender que não podemos pular no pescoço do chefe quando ficamos com raiva e nem saímos abraçando todo mundo na rua quando ficamos eufóricos com alguma coisa. Portanto, é muito possível controlar o ciúme quando ele começa a querer plantar minhocas na sua cabeça.
Ciúmes não é saudável, nem para si, nem para a relação.
Alguns psicológos descobriram meios que ajudam a controlar o ciúmes, vamos lá:
 - Admitir que não está conseguindo ter controle sobre suas emoções.
- Dialogar sempre com a parceira(o).
- Ter a capacidade de se colocar no lugar do outro.
- Respeitar os sentimentos e as diferenças do outro.
- Ter auto-estima e não depender de uma outra pessoa para ter sua própria felicidade.
- Ter a confiança como base de um relacionamento.
Então gente, reflitam que "O ciúmes é pra ser o tempero da relação e não o veneno.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

e Se for pra chorar, que seja de emoção.


Acordei numa quarta-feira nublada, totalmente descabelada, andei pela minha casa, o chão estava tão gelado, meu pijama estava desbotado… Na verdade, tudo estava desbotado.
Acordei achando a chuva mais molhada, o tempo mais fechado, o café mais frio. 
As pessoas tinham menos graça e o meu pavio estava mais curto. 
Então olhei pela janela, observei as folhas verde e uma angustia tomou conta de mim, me deu um calafrio. 
Fui pra debaixo do chuveiro onde demorei um pouco mais , e um pouco menos na frente do espelho. Não queria me ver, acordei sem vontade de mim. Ainda tenho minhas dúvidas, mas acho que acordei de ressaca de "amor não correspondido". 
Algumas pessoas acham que a gente tem a obrigação de sofrer em silêncio quando é por amor. Mas e se eu quiser gritar, chorar, espernear, só posso quando sofro de dor física? Ás vezes eu sofro por dentro, ás vezes quero chorar pelo o coração. E acredite, algumas vezes dói mais um coração partido do que um braço quebrado.

"Para que eu vou sofrer em silêncio se meu coração tá ouvindo tudo?"

Eu não quero ser a garota que tem que sofrer em silêncio, eu não quero ser a garota que silencia a verdade com seus gritos.
Não vou me silenciar, mesmo sabendo que são poucas as pessoas por quem se vale a pena morrer de amor. 
Posso ser muito quieta, na minha, calada, fingir não ligar para o que você diz e para o que você fala. Mas no final das contas só eu sei o que anda passando pela minha cabeça e pelo meu coração. 
Hoje em dia as pessoas preferem criticar do que amar. Sabe aquela pessoa que julgam pelas roupas?  Aquela que parece ser puta pode ser uma 'puta pessoa incrível' ...
E assim, fica cada vez mais difícil de encontrar pessoas com uma sensibilidade aguçada, ou porque elas preferem ser frias e camuflar seus sentimentos ou porque a vida fez com que elas se tornassem assim. 
Algumas pessoas escondem sentimentos por medo de se ferir novamente, mas eu não escondo meus sentimentos, não mais. Eu posso ter a minha forte simpatia e ser engraçada, mas tenho sentimentos e não tenho vergonha de os assumir, pra ver quem se importa. E quando alguém achar que eu escondo sentimento, na verdade não escondo, acontece que não revelo pra qualquer pessoa...
E se for para me tornar uma pessoa fria eu prefiro continuar acreditando no que de melhor e mais sublime as pessoas têm dentro do coração, mesmo que cada vez que eu acredite e me decepcione e arrebente meu coração, mas pelo menos eu estou tentando, pelo menos eu sou verdadeira e não ofereço falso sentimentalismo. Afinal, decepção é tipo como uma doença que você pega uma vez mas depois teu sistema imunológico já fica preparado pra destruir o mesmo vírus, caso ele queira voltar.
Eu continuo seguindo, sem olhar para trás, sem querer viver de nostalgias, sem mágoas e rancores...quero seguir mais leve, sem nada que pese na alma, vou guardar o passado no baú, trancar com a chave e esquece-la em algum lugar. O que importa é o que acontecer de hoje para frente, o passado só serve apenas como experiência, afim de não cometer os mesmos erros... O que importa é construir o presente e colher bons frutos no futuro...
A vida sempre pede um pouco mais da gente. A vida, não os outros. 
Bonito mesmo na vida, é essa coisa de ser feliz, mesmo que não se tenha um único e exato motivo, apenas ser feliz. 

Então TRISTEZA: A gente se vê outro dia, numa outra vida.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Pra todo fim, um novo recomeço.


O nosso amor sempre foi diferente.
Um amor calmo, uma vontade de proteger, de querer estar por perto, de simplesmente te ver dormir pela segurança de saber que está ali.  Porque apesar de não parecer, você sempre esteve em primeiro lugar em tudo, eu quero, eu tenho que saber de você, quero saber se está bem, por que eu quero cuidar de você, te proteger de qualquer mal, eu sei, sempre tive em meus pensamentos que não posso fazer muita coisa, pois a distância não permite, mais eu sentia, eu sinto profundamente que tenho o dever de afastar tudo de ruim que se aproximava de você ... O amor que eu senti, e sinto sempre foi algo puro, sem qualquer maldade, é algo incrivelmente forte e tão frágil ao mesmo tempo, é um amor que me transmite paz, que me faz sorrir a cada manhã. Eu guardo em mim, cada palavra sua, guardo em mim cada expressão do teu rosto, guardo em mim o teu sorriso, o toque das tuas mãos, a ternura dos teus olhos. E eu só preciso te ter ao meu lado, e saber que só eu, possuo o teu amor e mais ninguém. Você sempre estará em mim, por que eu não sei ao certo o quanto isso ainda me domina e sei também que preciso seguir em frente, e tentar fingir ao máximo que superei o que me corrói... Eu sempre terei esse amor bem aqui dentro.
Desculpe, não posso fazer com que ela saia de mim, e nem tentaria fazer isso por que ele ja se tornou até parte de mim, acho que eu tive que me acostumar, sempre vou "estar por perto" sabe? Porque sinceramente ... Hoje em dia eu já não consigo viver sem você.
Quando a noite chega, parece que tudo volta com mais intensidade, com mais gravidade, talvez, minha mente se perde em pensamentos e isso só a torna cada vez mais pesada. Deito na cama e fico ouvindo aquela música que faz lembrar de nós, e você mais uma vez em meus pensamentos. Queria poder ter você aqui bem perto de mim, pra poder tocar seu rosto e ver seu sorriso, queria poder sentir suas mãos quentes em minhas mãos novamente ...  Não duvide que eu consiga te proteger em pensamento, tenho a sensação que sou meio que sua protetora, talvez você não saiba, mas eu me preocupo em querer sempre o seu bem. Me sinto mal quando sei que não posso te ajudar, que não posso te abraçar, que não posso resolver nem metade dos seus problemas, que não posso pisar em todos que te pisam, que não posso dar um chute em todos que lhe invejam... Mesmo longe eu vou sempre estar aqui pra te aconselhar, prometo a mim mesma passar tranqüilidade, serenidade, positividade, enfim tudo que precisar. 
Sabe, de todas as vezes que eu estava ao seu lado eu nunca quis nada além porque só de estar respirando o mesmo ar que você, eu me sentia feliz. Só de estar sentindo o seu cheiro, injetando você em mim. Sentindo o calor da sua nuca, o pulsar do seu coração. Por que é inevitável, quando te encontro após muito tempo, quando tenho você ao meu lado, é como se eu pudesse sentir seu coração, pulsar no mesmo ritmo que o meu. Se amor for esse vulcão em erupção, que por mais que você tente esquecer, seja impossível... Eu afirmo: amar é morrer pecando e pedir por mais, porque no fundo, é perdoável, é aceitável, é inevitável.

Posso não demonstrar, mas quem não demonstra sente muito mais.
Pois meu maior prazer é te amar...

Eu não vejo a hora de te olhar novamente e sentir a mesma sensação que senti quando te conheci. Ao te ver pela primeira vez, algo me disse que você seria uma pessoa bem especial em minha vida. E hoje vejo que o que senti era a mais pura verdade! Você é mais que especial...
Quero sonhar os teus sonhos e permitir que você sempre faça parte dos meus.
Quero que você continue sendo o motivo da minha felicidade e a saudade que mais gosto de sentir.
Quero fazer parte de sua história e quero que você escreva os melhores momentos da minha. Pois é a teu lado que vivo momentos únicos. E é a teu lado que quero permanecer!

Te amo de um jeito simples, mais muito intenso.

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Todo amor que houver nessa vida ♥


Você chegou no momento em que eu mais precisava, quando eu estava me sentindo a ultima pessoa do mundo, foi você que me fez sentir - se amada, com esse seu olhar, esse seu jeito.
Quando eu já tinha desistido de amar, que você apareceu e me mostrou o amor verdadeiro. Diferente de tudo que eu acreditava ser amor!
Veio para cuidar do meu coração, veio pra me proteger do mundo e da maldade alheia.
Mudou cada detalhe em mim, fazendo brotar em meu peito um imenso amor por ti.
Iluminou cada passo meu, me fazendo a pessoa mais feliz deste mundo.
E a este amor, eu nunca quero dizer adeus, não quero que se perca com o tempo nem que voe com o vento, quero pra sempre estar ao seu lado, juntas a cada sorriso teu, a cada abraço, a cada olhar, a cada beijo. 
É você que faz meu mundo girar, que faz tudo ter um sentido, que me faz feliz... Porque você é a pessoa mais perfeita para meus olhos, é tudo aquilo que eu sempre sonhei para mim... E o meu coração já não sabe mais viver sem ti!
Estou tão feliz sabendo que você é aquela, que eu quero para o resto dos meus dias, você é todos os meus dias.
Eu queria estar ai do seu lado agora, abraçada, com a cabeça na sua barriga e ouvindo o barulhinho do seu estômago.
Mas também queria que você estivesse aqui agora para eu poder sentir seu corpo, ouvir sua voz surrando... Sabe, as vezes sinto tanto tesão em você que ter apenas uma parte do seu corpo, dentro de mim, não seria suficiente! 
Quero você toda me preenchendo, quero que você entre toda em mim, quem sabe assim, essa vontade passa, ela ficará sem espaço no meu corpo.
Mas nesse momento só de te beijar eu já ficaria satisfeita, pois eu descobri o que era amar pelos toques dos seus beijos.  Te amo ♥

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Minha amiga se tornou minha amante


Conheci uma garota na internet  e nos tornamos amigas (Jessica), ela namorava e eu também, sempre trocavamos confissões, ela falava da namorada dela e eu da minha, sendo que a namorada dela tinha muito ciúmes de mim, e sempre respeitamos uma a outra. Conversavamos quase todas as noites, falando coisas normais, sem maldade nenhuma.
Cheguei a conhecer sua mãe, e fui umas duas vezes em sua casa.
Ela era novinha, uma menina linda, rosto e corpo perfeito, seios medianos, um sorriso provocante, mostrando sempre o dentes ao sorrir com um ar de satisfação. E apesar do seu perfil de nerd e inocente, eu me fantasiava com ela, pelas coisas que ela me falava, cheguei algumas vezes me masturbar pensando nela. Sonhava com o dia em que eu pudesse ter ela em meus braços, nem que fosse para uma breve troca de carícias. 
Conforme os dias foram se passando, cada vez mais fomos ficando íntimas, e em uma conversa no MSN ela me confessou que fantasiava coisas comigo, e que estava ficando louca de tesão por mim. Na hora eu fiquei toda empolgada com a declaração dela e disse que também me sentia muito atraída por ela, começamos a falar umas sacanagens e ela me fez ficar toda molhadinha de tesão. Passei a noite pensando nela, louca pra chegar a noite do dia seguinte e a gente voltar a teclar. E assim fomos fazendo por uns dias, só falando sacanagens, ela me dizendo como gostaria de fazer, e eu dizendo que ia pegar ela de jeito e que tava louca pra ser dela. 
Um dia eu estava carente e louca de tesão "subindo pelas paredes", eu sabia onde ela morava, queria ver ela a qualquer custo, fui até sua casa e encontrei o portão semi aberto, encontrei e dei de cara com a mãe dela na cozinha, comprimentei e perguntei pela Jessica, e ela disse: "A Jéssica está no quarto, deve estar no computador, essa menina não sai de lá". Então subi as escadas e assim que cheguei na porta do seu quarto, pelo silêncio pensei que não havia ninguém, ou ela estivesse dormindo, mas quando me aproximei comecei escutar gemidos e gemidos e como eu não sabia, não sabia se tinha mais alguém com ela no quarto, estranhei.
Logo ouvi um dialogo:
- Isto chupa bem gostoso minha bucetinha, assim, vai amor...
- Aiii e eu adoro este seu dedo safado no meu cuzinho.
Fiquei perplexa ao perceber que ela estava fazendo sexo pelo telefone com a namorada enquanto a mãe estava em casa, mas dela eu já poderia esperar, ela adorava "o perigo". Me subiu um certo ciúmes misturado com uma vontade imensa, continuei espiando e foi aí que espiei o quarto pelo reflexo do espelho, avistei a Jessica sozinha na cama, completamente nua e se masturbando, o telefone no viva-voz emitia a voz de uma tarada.
Fiquei sem reação, paralisada a olhando e vendo ela se tocar intensamente e ainda dizia:
- Isto, uhmm mais forte, me fode gostoso e com força. aiii
Fiquei excitada com aquilo e imediatamente já comecei a me tocar, ela falava com a namorada tarada ao telefone, o notebook estava aberto em cima da cama o que indicava que era uma "brincadeira de pós MSN".
A vi gozar, ela gemia forte e suas perninhas tremiam, que delícia!!
Aumentei o meu ritmo e quando estava prestes a gozar me masturbando deliciosamente por ela, a ouví-la dizer:
- Amor foi muito bom, mas tenho que desligar porque minha mãe pode subir aqui a qualquer momento. Beijos e a noite te ligo.
Falou isto e desligou o telefone. Entrei no banheiro ao lado do quarto dela para lavar a minha mão, o rosto e fingir que nada aconteceu...
Jessica vestiu uma camisola e desceu as escadas encontrando com a sua mãe que disse ao lhe ver " KD A Bruna? Tá no computador?"
-Bruna ?
-É filha! Bom eu vou ter que dar uma saída, mais tarde eu volto!
Jessica subiu correndo as escadas e ao sair do banheiro dei de cara com ela, ela ficou vermelha, notei que ficou assustada, mas sem rodeios a peguei em meus braços a beijando calorosamente e a levando pra cama.
Tirei sua camisola e entre suas pernas encostei as minhas, como um animal selvagem. 
Fui passando minha mão pelo seus seios, pela sua barriga, pela sua buceta e ela foi fazendo o mesmo, primeiro bem tímidas. Depois tudo começou a esquentar e já não nos aguentavamos de tanto tesão. Eu estava muito molhada e senti que ela também estava ensopada. Me olhou, percebeu e sorriu maliciosamente. Eu adorei! Começei a beijar sua boca gostosa, seus labios carnudos e gostosos. Fui beijando seu pescoço, ela arrepiava toda com isso. Lambia sua barriga, mamei em seus seios, chupei cada um deles com toda vontade, ela gemia e eu adorava e me molhava cada vez mais. Beijei sua buceta dando tapinhas de leve, ela gemia e pedia, implorava para eu chupar ela gostoso, eu sorri pra ela e logo cai de boca naquela buceta cheirosa e molhada. Chupei todo aquele mel delicioso. Passei minha língua no seu clítoris e ela se contorcia de tanto prazer, me arranhando e puxando meus cabelos.Ela me puxou com força e beijou a minha boca, sentindo o sabor do seu mel. Fizemos um 69 e quando já não aguentavamos mais, nem nos davamos conta da hora.
Esfregamos nossas bucetas enquanto nos beijavamos loucamente. 
Fomos tomar banho juntas e a gente se ensaboava mutuamente e nos beijavamos. 
E quando acabamos o banho ficamos nuas em pé, uma com o dedo no clitoris da outra, estimulando, aquilo era ótimo e excitante.
Era uma sensação maravilhosa que eu nunca tinha tido antes, peguei ela no colo e a levei para o seu quarto, deitei ela na cama e comecei  a admira-la, ali peladinha na minha frente, então eu disse: "Não aguento mais, agora você vai ser minha!".
Abri suas pernas e passei o dedo na sua buceta, ela era rosadinha e apertada, enfiei o dedo e ela gemia baixinho. Em seguida comecei a passar a língua devagar e ao poucos fui enfiando a língua e mordendo seu grelinho. Ela se contorcia de prazer, gemendo pedindo pra eu continuar que estava muito gostoso. 
Nossos corpos tremiam, suavam. Enquanto eu a tocava, ela gemia bastante, com tanta excitação que não se aguentou e gozou em meus dedos. Me beijou devagar, mas meus dedos continuavam a te tocar. 
Ela me olhou com aquela cara de safada, e rapidamente enfiou os dedos em mim, com muita vontade e me deixando com muito mais tesão. 
Não tinha outra coisa a fazer, se não aproveitar o momento, segurei em sua cintura e pedi para ficar de quatro, penetrei meus dedos em sua buceta com força, comecei a fazer um vai e vem, ia tão fundo que ela ficava toda "Molinha", enfiei um dedo no seu cuzinho, ela rebolava como uma vadia, gemendo e gritando, dei uns tapas naquela bunda com vontada, enquanto se inclinava sobre ela para morder sua costas e seu pescoço. O vai e vem de seu quadril, fazia ela gritar. Eu estava com tanto tesão, parecia que ia explodir. Fui colocando com força meus dedos, 1,2,3,4 e ela gritava casa vez mais e isso fazia eu sentir mais tesão. Virei ela de frente, enquando eu batia naquela cara e falava: "diz que você está gostando, diz sua vadia". Comecei a dar umas mordidas em seus peitos, ela se contorcia e tentava puxar da minha boca, eu ouvia gemidos e suplicas de quero mais. Peguei um pênis de borracha e enquanto metia meus dedos em sua buceta, comecei a meter aquele pênis de borracha no seu cuzinho. Ela gritou, rebolando! Como ela era safada, por mais que estivesse doendo, ela estava gostando. Depois de longas mordidas, eu disse: "Estou gozando pra você". Ela já tinha gozado umas 5 vezes, satisfeita! 
Ela gemia de prazer, de dor e de tesão, gozamos feito loucas.  
Já havia passado umas 2 horas e nós duas nessa maravilhosa transa, sem preocupações. Transamos até anoitecer, ela deitou sobre mim e então eu disse que vi toda a cena de quando ela fez sexo por telefone, ela começou a se justificar, mas logo a interrompi, acariciando o seu rosto e a beijando. Nesse instante eu vi um brilho especial em seus olhos, Eu estava me sentindo uma mulher realizada, descansamos um pouco, nos vestimos e eu fui embora.
Algo poderia mudar em nosso relacionamento, no início nos evitamos durante um tempo, mas acabamos retomando nossa amizade e de uma forma muito mais intensa.

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Minha amiga não é mais virgem!


Eu morava com a minha amiga de infância (Rita), fazia 3 anos que havia perdido minha família em um acidente, e então a mãe dela me pegou para criar. A mãe da Rita trabalhava o dia todo, e como só moravamos nós 3, quando a mãe da Rita trabalhava a noite, Rita aproveitava para dormir sozinha em seu quarto e usufluir da sua cama de casal. Ela era mais velha, eu com 15 anos e ela com 24. Uma certa noite ouvi uns gemidos, acordei sonolenta e levantei para ver o que era, fui até o quarto ao lado (da mãe da Rita) e olhei pelo buraco da fechadura, o buraco dava direto pra cama. E vi, uma cena das mais vagabundas de sexo. Chupa, mete aqui, geme, grita, me bate.  Parecia vozes de mulheres, mas como estava escuro eu não conseguia ver quem era. Senti uma sensação estranha, e sem nem entender porque, já ficava interessada por tais coisas. Eu era virgem ainda, apesar de adorar amassos com colegas, meninos ou meninas, nos banheiros da escola pública onde estudava.  As vezes eu chegava suada da escola, tirava a camisa e ficava de soutien e saia pela casa, o corpo suado, os peitinhos duros das intenções. Ao chegar em cada toda suada, Rita  me abraçava amorosamente, saudando a chegada, beijando pescoço e segurando a cintura. Quando começou a esquentar, ela passava a me abraçar por trás e eu sentia um imenso calor subindo pelo meu corpo. Nunca a vi de verdade como uma irmã. E ela meio que se esfregava em mim como se estivesse insinuando alguma coisa, e às vezes, passava a mão pelo soutiens, esfregando no meus peitinhos. Uma das vezes, eu voltava da escola sem soutien. Estava na mochila, pelas brincadeirinhas do banheiro. Enquanto levantava a blusa, mecanicamente pelo hábito, ela já veio por trás me abraçando e deu com as duas mãos nos meus peitos que endureceram imediatamente. Eu parei, ela ficou uma estátua. O coração dela parecia que ia me empurrar e os olhos dela iam me comer ali mesmo. Ela começou a apertar de leve,  e eu, num impulso, corri pro meu quarto e me deitei atordoada. Não nos falamos todo esse dia. No outro dia, quando me viu sair do quarto onde havia trocado de roupa, ela veio até mim e disse: Desculpa, pelo que aconteceu. Foi uma grande surpresa e... E eu, que não queria assustá-la disse: Tudo bem "irmã". Você é minha irmã e sei que nunca ia me machucar. Não fiquei chateada. Dito isso, dei-lhe um abraço apertado e sai a passear com amigas. Quando voltei, ela tinha saído. Fui deitar e quando estudava na minha cama, caí no sono. De camisa e calcinha. Pelo meio da noite, acordei na escuridão com o dedo dela esfregando minha calcinha. Como estava escuro, ela não me viu abrir os olhos. Continuei a ressonar, e o deixei me masturbar. Logo minha buceta estava ensopada e abri mais as pernas, para incentivá-la. Ela puxou minha calcinha pro lado e senti seu dedo grosso apertando meu grelinho e a entrada da minha bucetinha que era virgem. Fui abrindo lentamente e gemendo baixinho, enquanto ela esfregava seu dedo muito rápido. Senti seus seios esfregando em minha barriga. Era evidente que ela estava nua. Ela afastou meus joelhos e tirou minha calcinha. Abriu totalmente minhas pernas e quando pensei que ela ia me comer, enfiou a lingua na minha buceta adentro. Não suportei e gemia: ai... aaaaai... E ela grunhia como um bicho, cheio de tesão. Senti ela me penetrar devagar com um dedo e chupar meu grelo. Não sentia dor alguma, pois estava até com o cu todo melado pelo mel que escorria. Ela chupou meu grelo enfiando o dedo médio enquanto eu gemia sentindo minha primeira gozada total. Ouvimos um imenso barulho que provavelmente era a mãe da Rita chegando, ela saltou da cama e foi para seu o seu quarto.
Num domingo logo depois do almoço, lavamos a louça e eu fui sentar num degrau do quintal, Rita veio se aproximando, eu estava com uma sainha, logo ela observou que eu estava com parte das pernas amostra, ela chegou mais perto pra poder observar melhor, e então eu a chamei e mostrei um machucado que tinha em meu joelho, ela se abaixou de frente e segurando a minha perna machucada notou a minha calcinha amostra, fiz aquilo para provoca-la, a princípio fiquei com receio, pois tinha uma consideração por ela como se fosse realmente minha irmã, mas não. Eu a queria! Rita continuou segurando minhas pernas, ela me olhava com um olhar que nunca havia observado nela, estava respirando fundo, segurou minha mão e puxou a para dentro de suas pernas, levei os dedos até sua calcinha e pude perceber que ela estava molhada, os olhos dela estava me fitando, ela olhava para mim de uma forma diferente, parecia que nunca tinha me visto antes, enquanto procurava puxar de lado minha calcinha ela segurou meu peito, percebi que ela tinha alguma experiencia, segurou com firmeza de quem sabia o que estava fazendo, e colocou o seu dedo em minha buceta, encharcada, rosada e um grelinho saltando pra fora, sem pensar no perigo deitei- me no chão, ela então entendeu e me cobriu de beijos, confesso que na hora ela estava propenso a colocar sua língua no meu grelinho, mas com a experiencia que ela tem, ela disse: "Agora não, outro dia. Minha mãe pode nos ver  aqui!" Eu perdi a noção do perigo, não queria largar ela.
No dia seguinte a mãe da Rita ligou do trabalho dizendo que ia demorar para chegar em casa, logo Rita vislumbrou uma grande oportunidade, pensando "seria hoje que teria  eu em seus braços." Sai da escola e fui direto pra casa, e la estava Rita, quando me viu deu um grande sorriso, e pude notar novamente aquele olhar que me queimava, seus olhos pareciam brasas, falou que iria tomar um banho, saiu e foi ao banheiro dos fundos, deu uns minutos e fui até lá, para minha surpresa ela estava tomando banho com a porta semi aberta, não pude acreditar e fiquei observando, ela já havia me visto e continuou, seus olhos ainda estavam em brasas, minha buceta estava queimando de tesão observando aquele corpinho escultural, passava o sabonete nas parte íntimas como uma profissional, sabia o que estava fazendo, enquanto a olhava já com a porta mais aberta comecei a me masturbar levemente, não queria estragar aquele momento, aquela visão, terminando o banho fiz com que ela fosse até o meu quarto, assim poderia observar melhor se a mãe dela chegasse, mesmo sabendo que só chegaria a noitinha. Ela então entrou só de toalha, mas carregando sua roupa, para um eventual fuga, era uma profissional mesmo. Deitamos na cama, não pude resistir comecei a sugar aquela buceta gostosa, já não sabia se molhada do banho ou de tesão só pude comprovar quando passei a língua no seu grelinho e dentro dela, estava com aquele gosto peculiar de uma buceta louca por umas dedadas, ficamos por longos minutos num 69, aquela buceta me deixou doida, eu mal sabia o que fazer, mas não conseguia ficar sem olhar, era como se fosse algo nunca visto. Me coloquei numa posição onde ela poderia ter ao mesmo tempo minha bucetinha e meu cuzinho, alternava entre um e outro, eu gemia, urrava, apertava, era uma ninfeta que sabia transar como uma mulher madura, pedia pra ser fundida queria que ela me comesse com algo mais fora do normal, e pedi pra ela "ME COME COM UMA COISA MAIS GROSSA". Ela olhou para os lados e viu um desodorante nivea em volta, devia ter uns 18 cm, não pensou duas vezes, ela colocou os 18 cm em minha bucetinha, entrou com muito esforço, me fodia gostoso, me olhando, aquilo me hipnotizava, não queria mais sair dali, foram 2 horas de muito tesão,  ela acariciava meus cabelos, passei a mão no seus seios, que estavam durinhos, esperando ser palpados, e dei um beijo na boca, ela aceitou com tesão louco e comentou, você e muito gostosa, começou a mamar meus peitos, que delicia, tentei colocar a minha mão em sua buceta mas estava sendo impossivel porque cada vez que ela penetrava aqueles 18 cm em mim eu gritava de tesão, ela socou até o talo e eu falei: "FAZ DEVAGAR TÁ DOENDO", Rita prou um pouco e quando eu menos esperava, ela empurrava o restante até o final eu gritava.. "Aiii .. ta doendo.. tira tira.. Rita falou: " Calma amorzinho, agora já entrou todo.. calma.. vai ficar gostoso." Logo ela começou a dedilhar meu grelinho, eu estava amando e comecei a rebolar.. Rita apriveitou pra tirar os 18 cm até a entrada da minha buceta e empurrar de novo e ele deslizou gostoso.. Então eu falei: " VAI FODE GOSTOSO, TA UMA DELÍCIA, QUERO PERDER MINHA VIRGINDADE COM VOCÊ". Rita começou a empurrar e tirar, comecei a tremer... e gozei deliciosamente... desfalecendo de tesão...

quinta-feira, 14 de junho de 2012

A da vizinha é sempre mais gostosa


Meu nome é Thais, tenho 25 anos e namoro uma garota chamada Sueli, namoramos há 1 ano, eu nunca me dei bem com a prima(Morgana) da minha namorada, nunca entendi o motivo dela não gostar de mim, Sueli disse que ela era meio homofóbica. A família toda da Sueli aceitava o nosso namoro numa boa, então sempre quando tinha festa de família eu participada, e todas às vezes que eu encontrava com a prima dela(Morgana) me olhava de cima a baixo e me ignorava completamente, ou então ficava soltando indiretas para mim. Sueli sempre brincava dizendo que ainda bem que ela não gostava de mim, assim não corria o risco de me perder para a prima...
Sueli morava sozinha a pouco tempo, então eu ficava mais na casa dela do que na minha, e Morgana morava no mesmo quintal, um dia Sueli precisou viajar "a trabalho", e quando faltava um dia para Sueli voltar, resolvi ir até a casa dela, deixar tudo organizado para a chegada dela. Como eu tinha a chave da casa, entrei. Minutos depois ouvi um barulho de som, logo deduzi que era Morgana querendo me irritar, não falei nada e continuei arrumando as coisas da Sueli.
Depois ficou um silêncio absoluto, estranhei e fui até a janela da Morgana vê se tinha acontecido alguma coisa,  escutei alguns gemidos que vinham da sala de TV. Fui até lá e vi Morgana se masturbando enquanto assistia um filme pornô entre lésbicas. Fiquei parada olhando aquela cena,  me arrepiei de excitação, Morgana estava com uma das mãos dentro da calcinha esfregando-a em sua buceta e a outra mão apertando seus seios redondos e fartos. Ela era muito bonita, eu nunca havia reparado, até que me deparei com essa cena, ela tinha um corpo bonito, era alta, cabelos loiros e longos, olhos claros. Sueli havia viajado há 05 dias atrás e eu estava sentindo falta de um bom sexo. Sem querer fiz barulho, e Morgana assustada, disfarçou ao me ver parada a observando, se levantou e começou a me ofender. Para mim foi a gota d' água. Fui em sua direção com o meu vestido tomara-que-caia de tecido fino, e começamos a discutir.
-A maior gritaria, ela estava sozinha na casa dela (porque durante o dia todos trabalhavam) entrei pra casa dela,  ela me empurrou e caímos no carpete. Eu nunca havia brigado assim, ela começou a puxar os meus cabelos e eu puxava os dela.
Senti sua perna entre as minhas, aquilo me subiu um fogo, Morgana percebeu, eu a beijei sem entender o que estava acontecendo, ela mordeu a minha boca, me deixando com mais raiva ainda, segurei as suas mãos, ela se debateu, não demorou muito e me beijou enfiando sua língua dentro de minha boca. Eu era mais forte que Morgana, levantei rasguei seu camisão, botões para tudo que era lado, ela não estava entendendo o que estava acontecendo, eu sem hesitar, tirei meu vestido e fiquei nua diante dela, ela perguntou o que eu estava fazendo, e eu apenas respondi "vou te ensinar o que é bom pra curar seu preconceito sua puta", ela gritou e veio pra cima de mim "Escuta aqui" eu segurei em sua mão "Cala a boca, fica quieta e faz o que eu mandar, se não quiser que eu conte pra todo mundo o que você estava fazendo", ela então, obedeceu.
Havia uma mesa de vidro na casa dela, mandei ela deitar sobre, de bunda para cima, passei meus dedos em sua bunda, acariciando cada curva de seu corpo, mandei ela virar, e passei a mão em sua buceta, colocava um dedo e ela meio que se contorcia, percebi que ela era virgem, olhei, sorri e falei: "Nossa uma virgenzinha assim, fácil fácil, deitada nessa mesa, mas você acha que vai ser fácil assim é sua puta? você vai perder  toda sua vergonha e seu preconceito que tem rapidinho". Peguei um balde de água bem gelada e joguei sobre ela, deixei ela molhadinha, ela fazia barulho, e se tremia. Não sei se de frio ou de tesão que sentia, me direcionei até ela e falei que ela seria minha escrava sexual de agora em diante, e se ela abrisse o bico, eu falaria tudo. Falei para ela sair daquela posição e me chupar, igual a menina do filme estava fazendo, ela toda sem jeito, não sabia nem por onde começar, meio que com nojo, porém, por instinto feminino ela foi fazendo e se aperfeiçoando, falei pra ela que se eu não gozasse em 5 minutos iria colocar minha mão toda dentro do seu cuzinho, então ela começou igual uma loca me chupar, eu estava me excitando, gostando daquela situação, quando eu estava prestes a gozar, mandei ela deitar no chão, de barriga pra cima, sentei na sua cara e gozei em sua boca, ela quase vomitou mais engoliu.  Ela começou a me lamber e beijar meu corpo inteiro enquanto eu tremia de tesão por ela, sua perna entre as minhas, seu joelho fazendo pressão na minha buceta, me deixei levar e percebi que ela havia gostado, esfreguei meu grelinho nela. Fizemos um 69, que sabor delicioso tinha aquela buceta e eu sem conhecer aquilo tudo. Suguei seu clitóris com força e ela começou a gemer me pedindo para continuar. Percebi que ali era o ponto onde eu deveria me concentrar e tratei de fazer com muita vontade. Abri sua bucetinha com as duas mãos e enfiei minha língua bem fundo nela, enquanto ela chupava a minha. Ela segurava em meus cabelos dizendo para não parar, sentia a língua deliciosa dela, sentia aquela sensação de ter uma mulher me chupando era indescritível. Ela chupava com muito tesão, enfiava toda sua língua em minha buceta e eu me derretia de prazer. Quando ela introduziu seu dedo em mim e continuou chupando meu grelinho não agüentei e gemi muito gostoso. Percebendo que eu gozaria logo, ela falou:  " Mete sua mão...mete.... ela pedia sem parar." 


Apesar de toda brincadeira, fiquei com receio de machucá-la, já que ela era virgem, mas minha mão entrou dentro de sua buceta com facilidade enquanto ela gritava, segurando meu pescoço e fazendo cara de safada, seus gritos enchiam a casa. Ela era muito escandalosa, e pedia sem parar que eu metesse,  e mordesse os bicos dos seus seios.
Minha buceta melava seu joelho que a esfregava sem parar.
Ela falava "Como você é gostosa, tesuda, e ingênua, parei imediatamente o que estava fazendo a olhei e perguntei "Porque?" Então ela disse: " Toda essa minha raiva de você, na verdade era desejo, eu estava louca pra estar aqui com você agora, estou de olho em você há muito tempo, desde que minha prima te trouxe aqui em casa... agora eu vou te foder do jeito que sempre fantasiei..."
Ela se separou de mim com um beijo, saiu correndo e após alguns minutos voltou com um pênis de borracha seguro por um cinto em sua cintura (strap on).
Me empurrou deitada no carpete, lambeu, sugou todas as minhas dobras, brincou com meu grelinho e meteu com vontade aquele pênis de borracha(strap on) enquanto me beijava. Foi uma loucura...era a primeira vez que um pênis de borracha me fudia. Quando lhe disse que ia gozar, Morgana arrancou o cinto com o pênis de sua cintura, levantou uma das minhas pernas e encaixando seu grelo no meu esfregou sem dó. Seu grelo era grande como se fosse um pequeno pênis e esfregava com vontade no meu grelinho... Gozamos, enquanto ela sugava meus seios. Nos abraçamos e tiramos um breve sono. Ao acordar ela me beijou deliciosamente e me agradeceu por tudo, e eu disse que não precisava agradecer e com um sorriso no rosto disse que em breve teríamos mais noites como aquela, me vesti e sai.

terça-feira, 5 de junho de 2012

"Amor próprio"


Hoje em dia o que mais a gente vê por aí, são pessoas desesperadas para encontrar  alguém. 
Mulheres lindas e inteligentes que acreditam que são menos por não serem "dois". 
Muita gente  namora sem saber os sonhos de quem está ao seu lado, casa sem querer, beija apenas pra falar "peguei", e assim, aos poucos as pessoas banalizam o amor,  "te amo isso", "te amo aquilo", mais na verdade, as vezes, nem mesmo gostam ou nem conhecem o amor.
Tenho preguiça de gente sem amor próprio.
Porque amor, é a base. A base do amor seja a admiração.
O amor vem de onde menos se espera, quando não se está procurando por ele. Sair à procura do amor nunca resulta na chegada do parceiro(a) certo(a). Nós não somos obrigados a correr atrás de ninguém, a não ser do nosso próprio sucesso e bem estar. O amor, este é pra andar ao lado, nem à frente, nem muito menos atrás. 
As mãos são dadas para que um possa estar ombro a ombro com outro, em sinal de igualdade e equilíbrio, respeito e amor.
Eu sempre fui o tipo de pessoa que desejava alguém que me falasse que ia me aturar. Aturar todas as minhas crises de ciúmes, meus momentos, minha falta de paciência, os meus surtos de insegurança. Aturar meus dramas, minhas teimosias, minha irônica, minhas piadas sem graça e fora de hora. Aturar todos os meus tipos de provocação, minhas mudanças inconstantes de humor e de temperamento. Aturar minha mente confusa, minha memória irritante, minha sinceridade exagerada. Aturar quando eu falar que te amo mais e também quando eu não falar que te amo.
Eu tenho pena de todas essas pessoas que não sabem o que é encaixar o rosto no vão das suas costas e querer ser embalsamado ali por mil anos.
As pessoas precisam saber como é bom passear de mãos dadas, dar e receber carinho, fazer um jantar pra quem você gosta e depois saber que vão "apenas" dormir abraçados, sabe, essas coisas simples, é muito bom ter alguém pra gastar um tempo com ela.
É eu tenho pena de pessoas que de vez em outra, Acordam em uma casa diferente, num quarto diferente, sem nenhuma maquiagem, dos avessos. Acorda sem saber onde está, sem saber o que fez, sem saber como voltar. Acorda sem nada no estômago, sem nada no coração, sem ter para onde correr, sem colo, sem peito, sem ter onde encostar, sem ter quem culpar. Acorda sem ter quem amar!
Eu nunca vou entender porque as mulheres continuam voltando pra casa querendo ser de alguém, sendo que elas usam roupas cada vez mais micros e transparentes, algumas usam roupas mais coloridas pra chamar atenção... É, o problema não é são as roupas curtas e sim a cabeça, que continuam vazias... O problema não são as roupas coloridas mas a mentalidade sem cor!
Eu gosto das pessoas pelo prazer de gostar e não porque deu tempo de gostar delas, ou porque eu não posso ficar sozinha, não tenho medo de ficar só. Já fiquei tempo sem namorar, e já namorei sozinha, acho que é uma fase que todos deveriam experimentar, pra pode em primeiro lugar, se amar.
 Porque o nosso primeiro e último amor é... o amor-próprio!

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Quando três nunca é demais!

Tenho uma vida sexual bem vivenciada. Não me considero uma garota de gostos extravagantes, por exemplo, não tinha o fetiche de participar de um troca-troca ou orgia envolvendo eu e a minha namorada, na verdade, nunca me excitei com ideia de ver minha “Luana” sendo devorada por outras pessoas.
Eu trabalhava com uma amiga, amiga de infância mesmo, chamada Patricia. Patricia morava sozinha, era lésbica assumida, e no final de semana, iria fazer um churrasco em sua casa e nos convidou para participar, eu e minha namorada topamos!
Luana era uma mulher linda, eu sentia muito ciúmes dela, ela chamava atenção por onde passava, bom quando chegou o dia do churrasco, era um sábado de sol, Patricia ligou avisando que havia convidado algumas pessoas, alguns amigos, e pediu pra gente levar biquini para entrarmos na piscina.
Nos arrumamos e fomos para cada da Patricia, minha namorada só veste vestidinhos curtinhos super insinuantes que lhe favorecem bastante, top e shortinhos ínfimos e super apertadinhos e sua langerie é em sua totalidade calcinhas fio dental e soutien meia taça. O dia transcorreu normalmente em volta da piscina e como Luana era a mulher mais gostosa daquele churrasco, tinha 2 homens, um casal de gay, um casal de lésbica, eu, Luana e Patricia. Luana caprichou e pôs seu biquíni fio dental mais pequenininho. A galera ficou indócil, mas todos respeitaram a mim e a ela. Ao entardecer após a piscina, minha namorada pôs uma saia de um tecido bem fininho e transparente, bem curtinha e bastante cheia de pregas e rodada. Junto com ela vestia um top bem folgadinho de um tecido transparente branco, com um soutien meia taça e uma calcinha fio dental ambos pretos e ínfimos. O soutien era nitidamente visível e a calcinha se entrevia entre as pregas da saia. Estava um furacão e o efeito era nítido entre os homens e mulheres. E eu? Eu apreciava a situação. Gostava e gosto de exibir minha namorada. Havia muita bebida e minha namorada que sempre bebeu moderadamente, neste dia se excedeu um pouco mais que o normal. Ficou bastante alegre e ousada e começou a atiçar todo mundo principalmente Patricia. Eu também não estava em meu juízo perfeito e estava excitada com as provocações da minha namorada, e das amigas da Patricia. Fui convidada pela Patricia para jogar uma partida de pôquer , o que sempre acontecia nestes churrascos, e minha namorada veio se sentar junto a mim para acompanhar a partida. Eu já estava super zem, mal sabia o que estava fazendo, a minha namorada estava praticamente do meu jeito, ou um pouco pior. A partida transcorreu normalmente até um ponto em que eu recebi um four a ases e comecei a subir as apostas a um nível que nunca havíamos chegado. Patricia, num gesto definitivo, apostou sua casa. Eu fiquei paralisada, a casa era enorme, e carissíma. Não tinha nada que fizesse frente à esse valor. Patricia, Já completamente desinibida pela bebida, num lance de ousadia, propôs que eu apostasse minha namorada para fazer frente a aposta. Eu já ia recusar quando minha namorada disse para mim que aceitasse e que, caso eu perdesse a aposta, ela seria dela mas eu estaria sempre presente a acompanhando, a presenciando tudo que acontecesse. Diante disso eu concordei com o trato, e paguei para ver. Para ver mesmo! Patricia baixou o jogo. Era um Royal strit flesh, portanto perdi a aposta. Todos pararam para ver o que Patricia ia fazer. Mas Patricia levantou, e pediu que saíssemos dali, fomos para um outro cômodo, Patricia pegou minha namorada, tirou-lhe a blusa, a saia arriou sua calcinha, deitou-a numa mesa, despiu-se e foi para junto dela. Minha namorada ficou apreensiva. Mas Patricia não estava sozinha, ela tinha um vibrador enorme, devia Ter uns 25Cm tranqüilamente. Ela mandou minha namorada pega-lo e direcionar para sua buceta. O bicho era tão grosso que minha namorada empalmou-o mas não conseguiu encostar os dedos ao polegar. Ela olhou para mim, arreganhou as pernas, encostou a ponta do vibrador na sua bucetinha e me pediu para abrir sua bucetinha e disse com um sorriso maroto no rosto. "Aposta é aposta." Eu tive que ir lá e abrir a bucetinha da minha namorada. Ela em seguida fechou os olhos pois Patricia começou a forçar o vibrador para dentro dela. Eu ali parada presenciando o inicio de uma foda da minha namorada com sua “nova dona”, sem poder fazer nada. Ela agüentou sorrindo tudo, e o vibrador entrou até o talo, ela gemia e falava "soca mais", Patricia olhou para mim e disse para ficar a vontade, que a  “PUTINHA” dela ia dar pra nós duas. Eu tirei meu shortinho e minha blusinha, fiquei de calcinha, pois eu também estava excitada. Patricia socou freneticamente o vibrador dela na bucetinha de Luana e gozou abundantemente.
Luana falava que sempre quis fazer um ménage, mas que nunca tinha tido a oportunidade  era(uma fantasia antiga dela).
Luana se curvou para a frente, Patricia não perdeu tempo e enfiou o vibrador no cú dela. Luana gritou e se contorceu, ela olhava para mim e dizia baixinho: Tá gostando? Eu acenava com a cabeça que sim e ela ficava satisfeita e tranqüila! Patricia disse que iria tomar um banho e disse para eu ficar à vontade pois logo voltaria. De onde eu estava era possível ver o banheiro. Patricia fez questão de deixar a porta aberta e continuava conversando comigo enquanto tirava a roupa. Sem que eu percebesse comecei a acompanhar seus movimentos enquanto comia a minha namorada, que agora estava “arrombada” depois de sentar naquele vibrador, meus dedos dançavam dentro dela, eu fiquei em seu quarto com a Luana esperando ela sair do chuveiro, ela saiu do banheiro enrolada em uma toalha e perguntou se eu não gostaria de tomar um banho também, achei que seria uma boa idéia tomar um banho para relaxar um pouco. Enquanto deixavamos Luana "descansar".
Eu tava achando tudo uma maravilha, apesar de ter dividido a Luana, parecia que eu estava sonhando, parecia fantasia da minha cabeça, mas não, era real, estavamos ali semi nuas, nos sentamos na cama e o clima esquentou, eu estava totalmente louca por ela,
 não resisti, segurei em sua nuca, e dei um beijo nela, segurei em sua cintura, tirei a sua toalha e vi os seus lindos seios, segurei com muito carinho e fui chupando cada um. Ela se contorcia toda e gemia.
Nos abraçamos e nos beijamos como loucas, tirei a minha calcinha onde ficamos nuas. Ela me deitou na cama e começou a me beijar na boca bem molhado onde pude sentir todo o sabor de sua saliva, que delicia! Enquanto Luana descansava, batia uma siririca olhando pra nós. Patricia desceu mais um pouco e alcançou meus seios que estavam pra lá de duros com os biquinhos empinados de tanto tesão. Ela foi descendo com sua língua felina até alcançar minha buceta que estava mais do que molhada. Começou a passar a língua em toda a minha buceta me deixando louca. Chupou até não mais agüentar e gozar na sua boca. Ela feito uma cobra, veio subindo pelo meu corpo com a boca toda melada do meu gozo e nos beijamos, um beijo mais molhado ainda. Ai foi a minha vez de dar aquela mulher todo o prazer que ela havia me proporcionado. 
Fomos para o tapete e comecei a beijar Patricia, ainda podia sentir o gosto do meu gozo em sua boca. Fui beijando seus seios que eram lindos, uma perfeição. Desci por sua barriguinha, beijei seu umbigo e fui seguindo aqueles pelinhos loiros que me conduziram até aquela buceta maravilhosa. Ela era muito cheirosa. Seu perfume se misturava com o cheiro inconfundível de uma buceta sedenta por sexo. Comecei lambendo seu grelinho e seus lábios. Suguei seu clitóris com força e ela começou a gemer me pedindo para continuar. Percebi que ali era o ponto onde eu deveria me concentrar e tratei de fazer com muita vontade. Abri sua buceta com as duas mãos e enfiei minha língua bem fundo nela. Patricia gemia como louca, eu não via a hora daquela mulher gozar na minha boca. Ela me pediu para enfiar o dedo em seu cuzinho pois ela queria gozar. Assim que enfiei meu dedo em seu cu ela começou a rebolar e gritar. Ela segurava em meus cabelos dizendo para não parar. Eu podia sentir que ela estava prestes a gozar então pedi que ela gozasse em minha boca, ela me brindou com seu néctar maravilhoso. Minha cabeça estava a mil e a sensação de ter aquela mulher gozando na minha boca me fez gozar novamente. Estavamos exaustas no chão.
Ficamos abraçadas, Luana então interviu nesse momento e beijou Patricia da mesma forma que me beijava, mas aquilo me excitava de uma maneira, que ciúmes seria a ultima coisa que eu poderia sentir, elas começaram a se enrolar no tapete, e eu doida pra entrar no meio, Patricia piscou pra mim, me convidando para participar, então eu fui.
Não sabíamos muito bem como e por onde começar, mas as três nuas e muito molhadas. Um momento único. Um sentimento único, terno, selvagem. Uma vontade descontrolada de nos possuirmos loucamente ao mesmo tempo.
Entre beijos, pudemos sentir o quão molhadas estávamos. Muitas mãos, muitos toques, seios, coxas, costas, bocas, pescoços, ao mesmo tempo. Louca de tesão, Luana se afastou  e pediu que nós duas continuassemos para que ela pudesse observar de longe... mas não tão de longe assim.
Sem rodeios, demos início a um 69 maravilhoso. Parecia mentira: Luana assistia de perto nós duas, as duas se chupando sem parar, enquanto Luana se masturbava na mesma intensidade. As línguas se perdiam uma na outra, enquanto eu me perdia sozinha com aquela visão...
Antes de gozarmos, paramos o que faziamos e Luana veio em nossa direção, como se quisesse dividir conosco o gosto de cada uma, naquela hora tudo estava sendo muito bem dividido.
Com pressa, após eu sentir o gosto das duas misturados em minha boca, começaram a me chupar como faziam anteriormente enquanto eu as observava. Eu estava deitada, e só conseguia sentir duas línguas que me tocavam de um jeito que eu jamais poderia imaginar.
Quentes, ágeis, constantes, firmes... nos meus seios, na minha boca, na minha barriga, na minha buceta que já não agüentava mais de tanto prazer, chega latejava, eu queria gritar, queria as fazer sentir tudo o que eu sentia, mas queria também que aquele momento durasse a eternidade. Logo uma delas sentou-se sobre minha boca, e pude sentir aquele gosto que sempre quis. Ela rebolava sobre mim, enquanto eu era chupada pela outra com uma intensidade jamais vista.
Viramo-nos de lado e fizemos um círculo, cada uma chupando e fodendo a outra. Sentia minha buceta sendo explorada com a mesma voracidade que eu as explorava, o que me enlouquecia. Aquela situação era a mais excitante da minha vida. Entre gritos, gemidos e sussuros, gozamos enlouquecidamente, nos beijando depois, para que sentíssemos o gosto do prazer de cada uma.
A Patricia saiu do quarto e voltou, com o vibrador. Não pensei duas vezes, peguei e comecei a explorar ela, deixei ela de quatro, e soquei tudinho, e
la já foi pirando, rebolava e mandava eu meter forte. Enquanto eu metia nela, dei 2 tapas na bunda dela, ela gemia, Luana apertava o bico dos meus peitos, e eu socava mais, com força, tirava e colocava pra dentro bem gostosa, a Patricia gemia muito, puxando o lençol da cama, ela não aguentou e gozou. Tirei o vibrador da buceta dela, e dei pra Luana chupar, ela chupou todo aquele gozo, e em seguida demos um beijo triplo, todas satisfeitas, caimos sobre a cama exaustas, descansamos um pouco, uma no colo da outra.
Entre sorrisos maliciosos e risos descontrolados, a mensagem que ficava era a de que a noite havia sido maravilhosa, porém, muitas outras coisas ficaram para depois. Tínhamos a certeza de que não tinha acabado por ali...

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Fazer sexo é como estar no Paraíso!


Era feriado,  combinamos de viajar, eu e alguns amigos.
Foi um casal de namorados (Camila e Roger), Eu e a Priscila, praia grande, esse seria o destino.
Ao chegar no apartamento, percebemos que só tinha um único quarto, e dois colchões, ambos de casal, ou seja, dormiria o casal de namorados, eu e a Priscila.
Chegamos de madrugada lá, por volta das 3hs da manhã, e como levamos cerveja, tomamos e apagamos.
Acordamos, fomos pra praia, bebemos, nos divertimos, fiz alguns contatos, e talvez encontraria mais tarde um casal de amigas na praia, tudo dependeria do tempo, pois estava esfriando.
O dia foi escurecendo, eu me deitei pra cochilar e a Priscila se deitou comigo, uma de frente pra outra, se cobrindo junto comigo e encostando de leve o corpo dela no meu, bem protegidas do frio embaixo de toda aquelas cobertas. Ficamos um bom tempo sem falar nada, só nos olhando, sentindo uma a respiração da outra, sob o efeito mais que relaxante de alguns copos de cerveja que havíamos bebido, o casal já estava dormindo. E enquanto o sono não vinha, ela levou a mão até o meu rosto e começou a deslizar com delicadeza, Priscila era uma pessoa extremamente carinhosa, e como eramos muito amigas, pensou que não havia problema, enquanto passava a mão em mim, fazendo carinho, tentando me fazer dormir, ela dizia que eu era muito bonita. Fiquei quieta e fechei os olhos, com um pequeno sorriso no rosto. Senti um calafrio percorrer meu corpo e me aproximei mais ainda dela, reclamando do frio. Uns poucos centímetros nos separavam, e nossas pernas encostavam uma na outra. Nesse momento, senti a mão dela encostar na minha barriga, por debaixo das cobertas, e ela dizer com um hálito perfumado: "Você ainda está com frio?". Respondi: "Não, pois estou com alguém que me esquenta!". A mão dela continuou deslizando pela minha barriga, fazendo movimentos em círculo, me deixando toda arrepiada e excitada ao mesmo tempo. Continuamos assim por um bom tempo. A poucos centímetros, sentindo o calor uma da outra, e eu sentindo o toque dela no meu corpo por debaixo das cobertas. Aos poucos a mão dela começou a descer, sempre acariciando meu corpo de uma maneira muito delicada. Passou pelo umbigo e continuou descendo lentamente, enquanto os olhos dela continuavam fixos no meu, eu sentia ela entreçaçando as nossas pernas, me pressionando, meio que encostando a buceta dela na minha, por cima da roupa. Fechei os olhos novamente e permaneci imóvel, sem arriscar nenhum movimento. E foi quando eu senti toda a sua mão sobre a minha buceta, ela teve a ousadia de colocar a mão por dentro do meu shorts, eu sentia minha buceta ficando umedecida com a minha excitação. Abri os olhos e ela continuava me olhando fixamente. Saí daquele estado imóvel, mas ainda sem me mexer muito, coloquei a minha mão na cintura dela, por baixo das cobertas. Deslizei suavemente pelo seu quadril e cheguei até a bunda, ao mesmo tempo dura e macia, e muito gostosa. Acariciei a bunda dela com a mesma delicadeza que ela acariciava a minha buceta, e permanecemos mais alguns minutos nessa deliciosa troca de carinhos. Depois disso, nossos rostos se aproximaram, e nossos lábios se tocaram com a mesma suavidade dos toques carinhosos. A gente se beijou ao mesmo tempo em que nos abraçamos, tentando preencher ao máximo o corpo uma com o corpo da outra. E no entrelaçamento dos corpos, puxei ela pra cima de mim, e apertei com força, desejando ela ainda mais. E o beijo não cessou enquanto isso. A gente continuou sempre se beijando, misturando as línguas e a saliva, buscando sentir ao máximo o gosto uma da outra. Nada se compara a beijar uma mulher, gemendo o mesmo gemido feminino de prazer. Fizemos uma brevíssima pausa, de menos de um segundo, para tirarmos as roupas, ela permaneceu de calcinha, puxei ela com cuidado, e atirei ela no colchão, fazendo pouco barulho com medo do casal acordar, e então ela voltou a me beijar, com o corpo em cima do meu. Senti seus seios tocarem os meus, e apertei ela com força, já completamente apaixonada. Com as duas mãos alcancei sua calcinha e puxei com força para baixo, até os joelhos, trazendo o corpo dela mais uma vez de encontro ao meu. Coloquei as mãos na sua bunda macia e gostosa, e puxei seu corpo, empurrando o meu, sentindo a buceta dela roçar na minha. Afastei  as pernas dela e ela ofereceu totalmente a buceta dela pra mim, que veio com vontade, esfregando com força sua buceta na minha. Procurei os seios dela com a boca, e chupei com prazer cada um deles, enquanto continuava o vai-e-vem gostoso. Nossos gemidos se misturavam e eram idênticos, impossíveis de distinguir. E no calor da transa, ela falou : "Você é muito gostosa! Minha buceta tá pegando fogo!" e eu também falava, delirando de prazer: "Quero sentir essa tua buceta maravilhosa na minha boca! Me beija". E ficávamos, as duas, cada vez mais alucinadas, nos entregando totalmente. Eu já tava mais do que louca com aquilo tudo. A gente tirou todas as cobertas e ficamos só as duas peladas, uma em cima da outra, sem nada pra atrapalhar. Ela ainda se levantou, ficando de pé no colchão, sentando então no meu rosto e esfregando a buceta na minha cara. E ela dizia entre gemidos: "Chupa! Chupa!". E eu me lambuzava e delirava com o gosto dela. Depois disso ela se deitou de novo, só que de bruços, e eu subi em cima dela, esfregando minha buceta na sua bunda, enquanto meus seios roçavam suas costas, e ela virava o rosto para nossas bocas se beijarem, dizendo enquanto isso: "Eu sou tua! Me fode!". E eu já quase explodindo de tanto tesão, sentindo minha buceta incendiar. Nos viramos e começamos a fazer um 69 em que ela me chupava e eu além de eu chupar ela, fodia gostoso a sua buceta, fazia os dois ao mesmo tempo, colocava a língua e os dedos dentro da buceta dela, entre um vai e vem gostoso, gozamos tanto nesta posição que ficamos desmontadas no colchão.Decidimos tomar um banho, antes que o casal acorde, fomos para o chuveiro com o corpo fervendo, e enquanto a água caia sobre nossos corpos, a gente se beijava, era difícil dizer qual das duas estava mais louca. 
O banheiro era super pequeno e não dava muitas opções, sentei ela no vaso e  chupei todinha aquela buceta maravilhosa, sentia o gozo escorrendo na minha boca, enquanto o meu escorria pelas pernas, pois gozavamos juntas. Eu tomava todinho o caldinho dela, eu senti prazeres que nem imaginava existir!
Foi quando eu perguntei: "Posso comer o seu cu?" e ela respondeu sem hesitar: "PODE, ME FODE GOSTOSO". Lubrifiquei seu cuzinho com o seu próprio gozo, e fui penetrando o meu dedo devagar, tentando colocar e tirar, e ela gemia, me pedindo mais, pedindo que eu fosse com força, então soquei meu dedo nela até o fim, e quando ela estava prestes a gozar, comecei a tirar e colocar meu dedo, fazendo ela se arrepiar todinha, ficando ainda mais louca, logo em seguida ela gozou, eu pegava seu gozo com os dedos e lambia tudo, passando em nossas bocas, e selando essa transa maravilhosa assim! 

Se eu acho que sexo é sacanagem? Só quando é bem feito.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Homens-Mulheres


Homem não entende o porque cada dia que passa, as mulheres procuram outras mulheres para se relacionar, vamos lá:
- Homens  quando estão em um restaurante e a conta chega, eles nunca tem nenhum trocado, e nunca admitem também que querem troco, sempre pedem " a saideira" pra disfarçar. Já as mulheres aparecem procuram pelas moedinhas exatas dentro da bolsa, e sempre dão um jeitinho de fazer tudo certo, tudo bem feito.
- Homens quando saem juntos, sempre colocam apelidos nos outros desagradaveis, tipo "Gordo, Cabeção, Rato e Negão". Já as mulheres gostam de tratar e serem tratadas com carinho, sempre usam apelidinhos "fofos", ex: "amiga, flor, Bruh, Dri, Sil, Luh, e etc".
- Homens gosta de filme normalmente de ação ou terror, aquele em que muita gente morre bem depressa, se possível com balas de metralhadora ou em grandes explosões. Já as mulheres prefere um em que a pessoa se tiver que morrer, que morra devagarzinho, de preferência por amor.
Um homem é muito fechado, raramente fala de sentimento, ele só divide seus pensamentos e sentimentos mais profundos quando questionado por um advogado.
Uma mulher é capaz de dividir seus pensamentos e sentimentos mais profundos com um completo(a) estranho que lhe dê atenção, ou até mesmo com aquela amiga.


"O Homem pensa com o corpo e, a mulher com o coração”.


As mulheres sempre estão juntas, seja pra passar uma receita, pra emprestar uma calça, pra segurar a bolsa da amiga, pra falar mal daquele cafageste, pra ir no banheiro juntas, hum. De tanto as mulheres sempre "sobrarem", enquanto  o homem vai lá ver o futebol, as mulheres estão se unindo pra fazer o almoço, e enquanto os homens estão "trabalhando" até mais tarde, as mulheres estão cuidando da casa, dos filhos, e etc.
E além de tudo, mulher tem que fazer tudo isso bem feito, se não leva chifre!
E diante disso tudo, algumas mulheres chegaram a conclusão que não precisava de homem pra nada, já que fazia tudo sozinha, ou com uma amiga. Sendo assim, algumas mulheres preferem outras mulheres para se relacionar, porque além de uma entende o que a outra "passou", vai saber exatamente o que fazer.
Além do mais, mulher  cuida da aparência e do corpo sem descuidar da beleza interior!Cultiva o caráter, valoriza quem a respeita e gosta dela;
Fala com os outros como gostaria que falassem com ela;
 São legais e atenciosas, fazem as coisas sem pensar em receber sexo em troca;

"Algumas mulheres ainda, só dependem de homem porque o vibrador não sabe cortar a grama!"


E se o homem depende da mulher pra tudo, até pra ser corno. Porque nós mulheres não podemos depender e gostar de outra mulher?

terça-feira, 6 de março de 2012

Namoro a distância ;*


Muitas vezes, o início de um namoro à distância não faz parte do planejamento financeiro das pessoas, mas as vezes para conquistar coisas e pessoas importantes na vida, devemos não apenas agir mas também sonhar, não apenas planejar mas também acreditar.


- Pra quê planejar o futuro se o acaso é tão bom e gostoso?


Então aproveite, se o amor da sua vida aparecer e estiver longe, relaxa porque não existe distancia, se ela realmente gosta de ti, vai te esperar, pra tudo tem seu momento.
Mas tenha calma, pois o namoro à distância exige muita confiança e principalmente paciência, é uma longa estrada que pode ter um final ou até mesmo um recomeço de uma outra etapa do namoro, partindo do namoro a distância para o "casamento.
Durante um namoro à distância, são muitas indas e vindas, muitas brigas, e normalmente as brigas acontece quando você tá carente, porque uma sempre fica mais que a outra, e a outra nunca pode dar a atenção que você precisa no momento.
Quem não se lembra da primeira briga entre casal ? Pode ser por causa da mãe, da sogra, da ex, uma palavra fora de hora, ou coisas que geram ciumes, mas o desentendimento se torna um crescimendo para e pronto!
As vezes não da pra se ver com tanta frequência, por falta de tempo, ou por falta de dinheiro, as vezes leva dias de viagem para encontrar a pessoa amada, ônibus, carro, avião e até carona são formas utilizadas para poder chegar ao destino.
Mas quando a gente ama não adianta, não existe distância,
não existe hora , lugar, ou tempo determinado para expressar o que sentimos.
É através do computador, é no telefone, é um email, é nas redes sociais, porque quando a gente ama, a gente fica a vontade, perde a noção da vida, e entende que tudo
o que se resume na pessoa que está fazendo a nossa vida acontece de forma diferente, porém especial a cada instante. A gente muda rotinas, muda manias, tudo pra se aproxinar daquele amor.
Eu amo alguém que me completa, que está longe, mas que faz de mim uma pessoa realizada, uma pessoa especial, que faz questão de saber que eu existo, que me liga pra saber se eu to bem, se eu comi... Que posso provocar novas emoções, e surpreender cada detalhe do querer e do prazer.
Aprendi a desejar e assumir meu amor por ela.
Ela tem sempre o melhor para me ofertar, e descubro a cada dia que passa
que sou muito feliz, por estar com ela desfrutando da sua adorável companhia.
é claro que eu sinto saudade, todos os dias que passo longe, sinto saudades de ouvir, de sentir, mas sei que ficar longe não é um sacrificio, é uma prova de amor.


- Ficar longe é muito ruim, a dor parece não ter fim...
Mas o que é a distância quando se ama?

Amar à distância é como eu te amo amor, é esperar o dia em que vou te ver, e te dar todo o meu amor de presente pra você.







segunda-feira, 5 de março de 2012

Amor ou humor?

Hoje em dia as pessoas confunde muito as coisas, as pessoas estão cada vez "mais sozinhas", e carentes, por isso acabam se apegando a qualquer uma que aparece, e olha que aparece a todo momento, e da mesma maneira que você conheceu ela, ela conheceu outra, e assim acaba te trocando!

Você está carente, conhece uma pessoa que te faz "bem", que te faz rir, que te leva pra sair, mas isso não é amor, alguém que te faz rir, que te ouve, que te leva pra sair chama-se AMIGA! Amor vai muito mais além...
Você conhece uma pessoa em um momento ruim da sua vida, além de você se apegar, você começa a viver a vida dela, se apega e pensa que não existe vida sem ela, MAS EXISTE!
Afinal, quantos anos você viveu sem ela?
Então, quando a "garota dos seus sonhos" aparecer, pense bem ...
Ela vai aparecer com os mesmos defeitos que os teus, com o mesmo jeito que o seu, te chamando a atenção, ela vai parecer a pessoa perfeita pra você.
Você vai querer ela perto de ti, dia após dia, por mais longe que ela esteja.
Você vai querer ela por toda parte, em uma festa, em um bar, ou até mesmo no cinema!
Você queria que ela fosse a sua garota, a garota que você tanto conversa, que acredita te entender tão bem, mas você não a conhece, e neste momento você acha que é amor...
Mas é exatamente nesse momento que você vai precisar separar, não se deixe entusiasmar, não crie expectativas, não viva em torno dela, não dependa somente dela, viva a sua vida, não procure alguém por se sentir só, quando estamos carente começamos a "distribuir" amor por aí, e muitas vezes para as pessoas erradas, é muito amor pra dá e falta a pessoa certa pra receber.
Amor é uma palavra de quatro letras, com um significado muito maior que o alfabeto inteiro.
E como saber se é amor?
Primeiramente não se preocupe em saber se é amor, e sim em viver, mas importante que saber é agir, e sentir.
E não adianta querer alguém pra mudar o status nas redes sociais, as pessoas estão cheias desse amor "docíssimo", isso passa carência ou até mesmo falsidade. O que é seu você sabe, não precisa de tanto Marketing e propaganda, amor de verdade a gente até esconde com medo de outra roubar.
As vezes você dá uns beijinhos por ai e pensa que tá amando, mas são apenas beijos de carência, apenas beijos de diversão, beijos de amor é raro, muito raro...
Mas a gente sabe quando é amor, pois um simples beijo queima o coração!


O amor é independente!
Se for dependente, não é amor, é carência...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

"O principe virou um chato".

Quando eu era pequena eu ouvia assim como você, a história dos príncipes encantados.
A princesa que estava em perigo, o amor era a salvação, o príncipe aparecia, salvava ela do dragão e tudo tinha um belo final, com passarinhos cantando, cavalos brancos com asas e etc.
Conforme o tempo foi passando, eu me perguntei:
O que fazia um príncipe ser encantado?
- Seria o cavalo branco? Suas origens? A roupa? A espada? A aparência física?
- O que seria "o encanto"?
Então, eu descobri que encanto é ouvir um sim como resposta sem ter perguntado nada."
É estar ao lado de alguém que te faz bem, e feliz.
É rir com alguém, é querer o bem da pessoa.
O encanto não se compra, não se adquire, ou você tem ou não tem, não existe meio termo. Porque não existem "príncipes quase encantados". Os tempos passaram e os príncipes mudaram, os cavalos hoje são carros/motos, e não precisa matar nenhum dragão pra salvar a princesa, muitos príncipes "pegam" o dragão achando que é uma princesa, e acabam perdendo seu tempo!
Eu perdi tanto tempo "achando que o certo seria um príncipe do (sexo masculino), mas como estamos no século "XoXoTa", o príncipe virou um chato, e por causa disso eu prefiro as princesas, não quero perder meu tempo beijando sapos esperando que virem príncipes, porque alguém me beijou primeiro e eu virei A SAPA! Descobri que todos que conheci, eram príncinpes falsos, e que eu não dei certo com ninguém, porque eu era/sou o príncipe de alguém.
Não procure um príncipe encantado sem defeitos.
Não queira o homem que toda a mulher queria ter.
O príncipe de verdade "pode até existir", mas não como nos livros , como nos contos de fadas .
O verdadeiro "príncipe encantado", na maioria das vezes não tem um cavalo , ou até um carro, mas isso não importa, ele vai até a sua casa a pé , só pra ver você . O príncipe encantado não precisa ter as melhores roupas , roupas de gala , pra ser um príncipe , ele tem que tratar uma garota bem, com respeito , sem magoa-la .
O príncipe encatado te trata com carinho, é fiel , não machuca o coração de uma princesa .
E hoje eu posso dizer que eu tenho a mulher que eu quero ter, a mulher que me faz querer partilhar a minha vida sem medos e sem hesitações. Não estou com ela porque me elogia, porque preenche os requisitos de "príncipe encantado".
Estou com ela porque tenho noção das qualidades mas também dos defeitos, e aceito-a assim, e ela está comigo porque sabe disso e porque pelo vistos isso lhe agrada. Não procure perfeição, não procure príncipes de conto de fadas, porque esses “príncipes encantados” estão sempre com “gatas borralheiras”.
Então feche o seu livro, e viva a realidade, não acredite em "príncipes encantados", porque eles não existem, são de mentira, então queira alguém de verdade, independente da cor, religião, sexo, idade, ou opção!
Seu "príncipe encantado" não é quem você quer ou quem você acha que é , é aquele que é parceiro , que enfrentararia o mundo com você e por você e não o'que anda de carruagem.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Um minuto longe de você

Não agüento mais ficar um minuto sem você Pois, cada minuto longe é uma perda de tempo pra mim
Sem você é tudo tão estranho, impossivel conseguir viver,
Porque nem o tempo me faz companhia quando eu não tenho você.
Quando eu te conheci, cai de cara nesse amor
Meus lábios beijando os seus lábios
Se encaixando perfeitamente, me fazendo sentir a paixão
E com todo amor, curou o meu coração!
Minha vida já não é mais vida se não tiver você ao meu lado
Pois sem você, fica tudo errado.
Longe de você, o silêncio das horas frias são palavras que não sei dizer
Eu só sei dizer que amo tanto você!
Amor o que é que eu faço?
sem os teus carinhos, sem o seu abraço?
Eu não consigo mais viver,
Coração ta sufocado sem você!
Vem ficar comigo, vem cuidar de mim
Vem me dar abrigo, me levar ao paraíso
Tudo com você é mais bonito, bem mais colorido
Não importa hora ou lugar,
Vou aonde o coração mandar
Daria voltas e mais voltas no mundo pra te ver,
Pois tudo o que eu mais quero, é estar com você.

Você daí e eu daqui
Todo amor que há em mim
Vem comigo até o fim?

Te amo Sarah Vaughn

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

"Quando a gente gosta verdadeiramente".

Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém, não esperamos o passo do outro, pois "Quando queremos alguma coisa, temos que "correr atrás", não importa o quê.

Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém, sabe que cada pessoa é inteira e não se divide em metades, Porque “dois em um” é sempre mais, e melhor que "um".
Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém só não gosta de estar longe "Porque estar longe nos faz se sentirmos sozinhos, não "sozinha" de não ter ninguém, mas sozinha de ter mil pessoas ao meu lado e querer/desejar apenas uma.
Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém não se entristece, fica feliz sempre, por saber que ela existe e está bem.
Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém, queremos ela sorrindo o tempo inteiro, e por mais que seu coração esteja partido, não demonstramos para não afetar a outra pessoa, pois a queremos feliz e alegre.
Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém torce por vitórias, está do lado para tudo, mesmo que seja na derrota estenda a mão, e ajude-a vence-la a luta.
Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém diz todo o sentimento, toda a verdade, não se envergonha disso. Pois quando estamos com quem gostamos, temos mais é que mostrar que somos de verdade...
Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém, entende que o outro não é perfeito, que você não é perfeito e que as imperfeições ou defeitos existem, todos nós temos defeitos. Uns mais, outros menos, uns grandes e outros ainda maiores. O problema não é ter defeitos...É deixa-los ultrapassar nossas qualidades!


"Não aponte defeitos, aponte soluções" ...


Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém, queremos estar sempre com a pessoa, não precisa estar perto só de corpo, e sim de mente/ coração, fazendo ela te sentir "perto" mesmo que esteja longe.
Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém não perdemos só a cabeça, perdemos também o nosso coração. Ele salta do meu peito, e vai de encontro ao seu.
Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém, sentimos medo de tudo, assim nos tornamos a pessoa mais frágil que existe, mas basta um olhar, uma palavra de carinho, um abraço, um beijo que logo o medo se vai.
Quando a gente gosta verdadeiramente de alguém, não conseguimos dirigir o olhar pra mais ninguém...


"Gostar de alguém é função do coração, mas esquecer, não" ...
Quando a gente gosta verdadeiramente, a gente muda, o mundo muda.